Descrição Geral do Projeto

A validação da aprendizagem não formal e informal é comummente entendida como um fator chave no sucesso das estratégias de aprendizagem ao longo da vida, pelo seu potencial de aumentar a permeabilidade dentro dos sistemas de educação e formação. A validação desta aprendizagem traz vários benefícios, entre os quais o facto de capacitar adultos com baixas qualificações e outros grupos desfavorecidos, através da identificação e valorização das suas competências e potencial. Na perspetiva do mercado de trabalho, a motivação pode residir na promoção da empregabilidade dos adultos, ou solucionar o défice de qualificações em alguns setores económicos. Numa perspetiva educativa é uma ferramenta que pode facilitar e encorajar o acesso dos adultos e a sua progressão na aprendizagem, especialmente daqueles que não possuem as qualificações formais mas que podem ter adquirido um conjunto de competências e aptidões através da sua experiência profissional ou atividades de voluntariado. Adicionalmente, a validação desta aprendizagem pode reduzir outras barreiras à aprendizagem, tais como a falta de tempo ou de fundos, pois permite encurtar os percursos de aprendizagem.

A nível europeu, a validação desta aprendizagem é sistematicamente promovida desde a adoção dos princípios europeus em 2004. Em 2012, publica-se a recomendação do Conselho sobre a validação desta aprendizagem com o objetivo de motivar mais adultos a participar na aprendizagem ao longo da vida, particularmente os de grupos socioeconomicamente desfavorecidos e os adultos com baixas qualificações. A recomendação convidou os Estados-Membros a implementarem mecanismos para a validação desta aprendizagem até 2018, permitindo aos adultos verem os seus conhecimentos/competências/aptidões avaliados e validados e obterem uma qualificação completa ou, nos casos em que se aplica, uma qualificação parcial. É enfatizado o facto de os grupos desfavorecidos, incluindo os adultos desempregados e os que estão em risco de desemprego, poderem beneficiar especialmente de tais mecanismos de validação.

A Epralima trabalha com adultos desde 2002 e defende a ideia da criação de uma ferramenta de trabalho comum a todos os centros, visto ser uma necessidade apontada pelos técnicos envolvidos nas várias reuniões de acompanhamento da ANQEP. Pretende-se criar um manual metodológico composto por um guia metodológico para profissionais – base de formação para todos os coordenadores/técnicos/professores envolvidos no processo, como também, por uma bateria de ferramentas específicas de reconhecimento, validação e certificação de competências a aplicar aos adultos. Pretende-se que o manual, comum às entidades, permita ou possibilite ao adulto continuar e terminar o seu processo noutro ponto qualquer do país ou estrangeiro de forma a validar o processo a nível europeu e que não o impeça de se mobilizar no espaço em virtude de alteração de situação pessoal e/ou profissional.


Grupo-alvo
  • Profissionais que trabalhem com o reconhecimento, validação e certificação de competências de adultos
  • Entidades que trabalhem com o reconhecimento, validação e certificação de competências de adultos;
  • Adultos: adultos que procurem a certificação escolar; adultos certificados pelas entidades parceiras; adultos à procura de contactos de empresas/entidades/instituições;

Objetivos

Objetivo geral

  • No contexto da qualificação escolar dos adultos pretende-se contribuir para o desenvolvimento de 1 manual metodológico que assegure o reconhecimento, a validação e certificação de adultos, permitindo a interligação/combinação das abordagens teóricas e práticas de validação e certificação de forma a alargar a visão nacional e a visão europeia.

Objetivos específicos:

  • Criar o manual metodológico “Balanço de Competências-Chave para a Certificação Escolar Universal” à realidade dos parceiros, composto por: 1 guia metodológico para profissionais e por 1 bateria de ferramentas específicas de reconhecimento, validação e certificação de competências. Pretende-se a construção de uma ferramenta comum e que permita a mobilização do adulto sem receio de não ser reconhecido a nível europeu. Para se dotar os adultos e tornar a sua certificação transversal a outros países, o manual vai servir de base de formação a todos os coordenadores/técnicos/professores que trabalham ou venham a trabalhar nestes processos.
  • Estudo piloto – experimentação do manual junto de 1 grupo de adultos para colocar em prática as ferramentas de validação e certificação escolar a nível europeu. Para além das ferramentas que terão que ser aplicadas, avaliadas e validadas, no final do processo terá que ser emitido um certificado reconhecido a nível europeu.
  • Criação de 1 plataforma digital para disseminação da metodologia usada junto dos adultos e para a implementação de ferramentas complementares de promoção da inserção no mercado de trabalho nacional e internacional. Será 1 ferramenta ao dispor dos adultos, já certificados pelas entidades parceiras, que pretende impulsionar o acompanhamento e a obtenção de formações específicas de outros conhecimentos transversais.
  • Avaliação final do impacto do estudo piloto que resultará na elaboração de um relatório sobre o desenvolvimento e aplicação do manual, quer na visão da equipa envolvida quer na visão dos adultos sujeitos ao estudo, que aponte para ajustamentos e adaptações se necessário.

Atividades

O projeto abrangerá as atividades transversais de gestão, disseminação e avaliação, assim como implicará a concretização das seguintes etapas:

1 – Elaboração do manual metodológico “Balanço de Competências-Chave para a Certificação Escolar Universal” à realidade dos parceiros, composto por um guia metodológico para os profissionais e uma bateria de ferramentas específicas de reconhecimento, validação e certificação de competências de adultos. Será uma base comum de trabalho que poderá ser aplicada por si só, ou então, complementada com ferramentas mais ajustadas e adaptadas às necessidades de cada entidade. A certificação final do nível escolar terá a atribuição de créditos, que desde o início deste ano, já fazem parte dos referenciais de formação aplicados a nível nacional e que estão de acordo com as orientações e recomendações europeias (ECVET, QEQ, EQAVET). Inerente à criação deste manual estão as seguintes tarefas:

  1. Sinalização da equipa a envolver para a validação da metodologia (coordenadores, técnicos, formadores) dentro de cada entidade parceira no sentido de retratar ou ir ao encontro das necessidades funcionais do trabalho realizado pela entidade a nível do reconhecimento, validação e certificação de competências.
  2. Seleção das metodologias demonstrativas de experiência pessoal e profissional do adulto para a construção da bateria de ferramentas específicas de recolha e análise de informação do adulto.
  3. Planeamento dos processos e metas de trabalho entre as equipas;
  4. Apresentação da proposta da abordagem e metodologia a aplicar;
  5. Realização do protótipo do manual e sua validação;
  6. Formação dos coordenadores, técnicos e formadores (“Teacher Training Event”).

2 – Criação de uma Plataforma Europeia de Apoio ao Reconhecimento, Validação e Certificação de Adultos com caráter pedagógico, informativo e interativo.

As entidades parceiras; outras entidades que trabalhem com o reconhecimento, validação e certificação de competências de adultos; adultos que procurem a certificação escolar; adultos certificados pelas entidades parceiras; adultos à procura de contactos de empresas/entidades/instituições; entidades/empresas/instituições que procurem contratar recursos humanos serão o público-alvo desta plataforma.

Na plataforma encontrar-se-á informação fidedigna das entidades envolvidas no projeto, assim como, acesso ao manual metodológico (guia metodológico para profissionais + bateria de ferramentas específicas de reconhecimento e validação de competências), quer para consulta quer para download. Será dinamizado também na plataforma, um espaço destinado à partilha de ideias, dúvidas e/ou esclarecimentos destinado tanto a profissionais como adultos, assim como, um espaço sobre notícias e desenvolvimento do projeto.  Em complemento à certificação obtida nas entidades parceiras, os adultos vão ter disponível na plataforma (através de código de acesso) a frequência de autoformações para os dotar e capacitar com outras competências transversais que impulsionem e promovam a inserção no mercado de trabalho, como é o exemplo das formações linguísticas, motivacionais e comportamentais.

3 – Estudo piloto para a experimentação do manual “Balanço de Competências-Chave para a Certificação Escolar Universal” junto de um grupo de adultos para verificar se a sua implementação é eficaz e eficiente. Para a realização deste procedimento será necessário efetuar:

  1. Recrutamento e seleção de um grupo de 8 adultos desempregados e que se encontrem em situação de risco de exclusão social;
  2. Planeamento das várias fases constantes do manual que resultará num cronograma a seguir;
  3. Desenvolvimento, aplicação e implementação do manual metodológico;
  4. Certificação dos adultos a nível europeu através da atribuição de pontos de crédito já constantes nos referenciais de formação;
  5. Integração dos adultos numa mobilidade ao estrangeiro para formação linguística (inglês) como complemento de qualificação pessoal e mecanismo facilitador à possível integração no mercado de trabalho e/ou visualização de exemplos concretos de sucesso a nível internacional que impulsionem e motivem para a criação do próprio negócio.

4 – Avaliação final do estudo piloto

  1. Relatório sobre o desenvolvimento e aplicação do manual metodológico “Balanço de Competências-Chave para a Certificação Escolar Universal” refletindo a visão dos profissionais e dos adultos sujeitos ao estudo piloto;
  2. Ajustamentos e adaptações ao manual.

Resultados - Produtos
  1. Elaboração do manual metodológico “Balanço de Competências-Chave para a Certificação Escolar Universal”
  2. Criação de uma Plataforma Europeia de Apoio ao Reconhecimento, Validação e Certificação de Adultos com caráter pedagógico, informativo e interativo.
  3. Estudo piloto para a experimentação do manual “Balanço de Competências-Chave para a Certificação Escolar Universal” junto de um grupo de adultos

Parceria
  • E-Seniors: Initiation Des Seniors Aux Ntic Association, Paris, França
  • Learning for Integration ry, Helsínquia, Finlândia
  • Centro Integrado Público de Formación Profesional Misericordia, Valência, Espanha
  • Fundacja “Aktywni Xxi”, Jelenia Góra, Polónia
  • Vitale Tecnologie Telecomunicazioni – Viteco S.r.l., Catânia, Itália  

Mais Informações

Privacy Preference Center