Compromisso

O Centro Qualifica da Epralima assume a missão de contribuir para a elevação das qualificações escolares e profissionais dos jovens e dos adultos da região Minho-Lima e capacitá-los para a gestão eficaz das suas carreiras e para a (re)construção de projetos de vida, facilitando as transições de vida entre a escola e o mercado de trabalho, o retorno ao sistema de ensino ou de formação, a transição entre emprego e desemprego, entre diferentes empregos e entre emprego e aposentação.

Propomo-nos prestar um serviço de qualidade, por referência às orientações e diretrizes da ANQEP e os valores e os princípios orientadores que regem o nosso Centro Qualifica.

Valores e Princípios Orientadores

O Centro Qualifica da EPRALIMA rege-se pelos seguintes valores e princípios orientadores:

Responsabilidade Social

  • Na prestação de um serviço de qualidade aos jovens e aos adultos, centrado nas suas necessidades de qualificação escolar e/ou profissional e focado na sua valorização académica e profissional, com consequências na sua valorização pessoal e social.  

Rigor e Qualidade

  • Na atuação junto dos jovens e dos adultos que procuram o Centro Qualifica, na gestão e no desenvolvimento de toda a atividade do Centro Qualifica, garantindo o cumprimento dos indicadores de qualidade definidos, não só para a organização e funcionamento, mas também para o desenvolvimento das diferentes atribuições do Centro.

Igualdade de Oportunidades

  • Na prestação de um serviço de qualidade aos jovens e aos adultos que procuram o Centro, com empatia e respeito por todos os candidatos/as, e interesse pelas suas competências, opiniões e ideias, independentemente da sua religião ou crença, incapacidade, orientação sexual, nacionalidade, opinião, afiliações, origem social ou étnica.

Inclusão

  • Na atuação junto de públicos diversificados, respeitando as suas necessidades, motivações e expectativas.

Autonomia

  • Na tomada de iniciativas que melhorem o bom funcionamento do Centro Qualifica e a qualidade do serviço prestado aos jovens e aos adultos que procuram o Centro, desde que em conformidade com as orientações da ANQEP, como o estabelecimento de parcerias e a realização de atividades diversas de divulgação e de promoção do Centro, ou outras.

Cooperação Interinstitucional

  • No estabelecimento de parcerias que permitam assegurar a prossecução das atribuições do Centro Qualifica, reforçar as sinergias, o trabalho em rede, a complementaridade e a qualidade das respostas e da intervenção junto da população da região do Minho-Lima e do tecido económico e social abrangente.

Racionalização de Recursos

  • Mediante a prática de uma política de gestão dos recursos internos – humanos e materiais – que maximize a sua rentabilidade, assim como da rentabilização dos recursos externos, através da integração em redes locais para a qualificação, de forma a garantir uma gestão mais eficiente e adequada das ofertas em conformidade com as necessidades dos jovens e dos adultos.

Transparência

  • No que diz respeito a: condições de acesso; etapas de intervenção; metodologia utilizada; instrumentos aplicados no decorrer das diferentes etapas de intervenção; propostas de encaminhamento; registo do percurso realizado pelos jovens e pelos adultos no Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa (SIGO).

Confidencialidade

  • Sobre a informação prestada pelos jovens e pelos adultos ao longo do percurso desenvolvido no Centro Qualifica, que consta no seu processo individual, e sobre o tratamento de dados efetuado.

Valorização do investimento e do desenvolvimento contínuo dos candidatos

  • Através do reconhecimento das competências desenvolvidas pelos jovens e adultos nos seus diferentes contextos de vida, sejam o contexto pessoal/privado, profissional ou social;
  • Através do incentivo dos jovens e adultos para a aprendizagem ao longo da vida, pela via da formação ou outras, e para a definição e concretização de projetos de vida, adequados ao seu perfil de interesses e capacidades.

Valorização da internacionalização e da mobilidade

  • Através do incentivo dos jovens e dos adultos para participação em programas de mobilidade europeia ou outras, numa perspetiva de desenvolvimento e de aprendizagem ao longo da vida, em conformidade com o seu perfil de interesses, disponibilidade, capacidades e necessidades.